13 junho 2013

O sapato bicolor de Mademoiselle

Quem, como a gente, ama a história de Coco Chanel e tem nela um dos maiores (senão o maior) ícones da moda mundial sabe bem que suas inspirações vieram, boa parte, do guarda-roupa masculino. Com seu potencial minimalismo e elegância, Chanel redefiniu a silhueta feminina no ínicio do século XX. 

Uma das criações mais marcantes da estilista foram os scarpins bicolores, lançados por Chanel em 1957, e que possivelmente foram inspirados nos calçados esportivos com biqueira escura que seus amigos usavam e ela amava. Reza a lenda também que ela fez o modelo afim de criar uma ilusão de ótica, diminuindo o tamanho dos seus pés (que ela achava serem feios e grandes). Mas, lendas à parte, o modelo virou um sucesso e até hoje é um clássico. 

A icônica foto de Chanel no ombro do bailarino Serge Lifar, em 1937, já
mostrando sua predileção por sapatos bicolores.
O primeiro modelo criado por Chanel era aberto atrás para ser mais confortável

Numa época em que o padrão de elegância era ter um sapato que combinasse com cada traje, Chanel garantiu que, com quatro pares na bagagem, ela poderia dar a volta ao mundo. Para provar o que dizia, logo depois do scarpin bege e preto, vieram sua versão verão, em azul-marinho, a esportiva, em marrom-escuro, e os sofisticados modelos de noite, em vermelho, ouro ou prata. Sem nunca perder as linhas limpas e clássicas do design original, o sapato Chanel ganhou ao longo dos anos uma infinidade de variações e admiradoras fiéis, como as atrizes Catherine Deneuve, Marilyn Monroe, Brigitte Bardot, Jacqueline Kennedy e a princesa Diana.

E como não poderia deixar de ser, a Lascivité agora também tem o seu modelo bicolor, batizado de Mademoiselle, em homenagem à nossa estilista inspiradora. Feito artesanalmente em couro, o Mademoiselle ainda traz um coração para dar um charme ao laço. Estamos completamente apaixonadas por ele. E você também vai ficar. Corre aqui para garantir o seu: http://bit.ly/12qxRpe









Postar um comentário